Notícias

  • 12
  • MAI/2019

Gretchen revela desejo de aumentar a família

GSHOW.COM - Um é pouco, dois é bom e sete filhos para Gretchen não é demais! Sim, a cantora quer aumentar a família. E não é um projeto que vá demorar muito. A Rainha do Rebolado, que completa 60 anos dia 29/5, está cheia de gás e pretende adotar uma criança logo, logo. Ela já é mãe de Décio, Sérgio, Gabriel, Giulia, Valentina, Jeniffer e Thammy, que fará o almoço de hoje.

"Meu coração está sempre aberto para receber [uma criança]. Parece até que tem um aí a caminho. E será sempre bem-vindo na minha vida. Quanto mais filhos melhor", contou ela, que já tem duas herdeiras do coração.

É tanto amor pela maternidade que o Gshow trouxe um bate-papo sincerão com Gretchen neste domingo de Dia das Mães. De culpa à morte de um dos filhos, a cantora, que atualmente mora em Mônaco, não poupa palavras para falar de amor, dor e seus ex-companheiros. "Cada um (dos filhos) tem o seu pai. Não tenho contato com eles." Confira!

"Toda mãe deixa de fazer alguma coisa por conta dos filhos. Deixa de comer, de viajar, de passear... de namorar. A gente está sempre cedendo e abrindo mão por eles, independente do que seja. São a coisa mais importante na vida de uma mulher."

"A maior dor é perder um filho. Fora isso, a gente suporta, encara tudo. Eu já passei por isso e sei como dói. Você perdeu aquele, mas tem mais sete para cuidar. É isso que dá forças. E saber também que [Rafael] está em um bom lugar. O espaço que viveu aqui, foi o tempo que Deus determinou para ele."

"É difícil reunir todo mundo. A gente até tenta. Quando estou em Portugal fica mais fácil. Juntar todos eu nunca consegui. A gente consegue uma parte e os outros participam virtualmente. Cada um mora em um lugar fora do Brasil. É uma reunião de países porque o Décio está em Nova York, Sérgio em Coimbra, Gabriel, Giulia e Valentina na França, Jeniffer na Indonésia e Thammy no Brasil. Inclusive eu vou almoçar com ele dessa vez. Acho que fará lasanha, sempre faz quando vou à casa dele."

"Quando era mais nova até tinha algum sentimento de culpa. Hoje, não mais. Isso é a maturidade. Quando a gente é mais nova, é insegura de preocupações e de culpa, mas depois que se amadurece e tem consciência do que é ser mãe, aí tira de letra e acaba com essa coisa."

"Eu amo ser mãe. Por mim, eu já estava grávida de novo, tinha bebê. Tenho uma gravidez ótima, amamento... Acho que ser mãe é um momento pleno da mulher. Sou extremamente feminina. Eu amo aquela sensação de ter aquelas coisinhas para proteger. Ser mãe é tudo. É proteger, é amar, é se doar."
 
 
Compartilhar:
topo voltar 0 Pessoa(s) Comentaram:

Os campos abaixo apresentam erro:

    Seu comentário foi enviado com sucesso! Aguarde a moderação publicá-lo.